Conexão e reflexões de Inverno

Conexão e reflexões de inverno

Conexão e reflexões de Inverno

Um sentimento muito difícil de se lidar é o sentimento de se estar separado: uma alma solitária nessa imensidão. O mais comum é buscarmos a companhia de outras pessoas para nos preencher, para gerar conexão… o que pode ser bom em alguns momentos, mas não é o que realmente buscamos.

Por sentir demais essa realidade em minha experiência comecei a procurar formas de me conectar com a essência de mim mesma, e entendo que para isso, a melhor professora é a Natureza, com seus ciclos e mistérios que nos presenteiam com tudo que precisamos para viver.

É engraçado como reclamamos de tudo: se está frio, se está calor, se está chovendo, se está seco demais… Hoje em dia, parece que a única conexão que importa é a do wi-fi para usar o Whatsapp, e nem percebemos que passamos dia após dia carregando o peso do vazio interior existencial.

Claro que eu também vivi assim por muito tempo, mas minha resistência ao sofrimento é menor do que a maioria, então em algum momento eu surto e percebo que preciso tomar alguma atitude para mudar. E foi assim que escolhi acompanhar, conscientemente, as mudanças das estações, criando uma conexão entre mim e essa essência já carregada de milênios e milênios de sabedoria.

Pela primeira vez na vida esperei pelo início do Inverno como uma criança que espera pelo aniversário ou o Natal. Tudo bem que aqui no hemisfério Sul nosso inverno não coincide com o Natal, e nem mesmo tem neve (essa é a parte mais triste da história), mas a sabedoria é a mesma de qualquer parte do mundo.

Com certeza é um momento de mais introspecção, não porque estamos triste, mas porque precisamos “descansar” da estação que findou e nos preparar para ela novamente. É como uma grande noite no meio do ano, só que não dormimos o tempo todo. Ao contrário, podemos estar mais alertas do que nunca!

O frio convida a atividades mais intimistas, compartilhar com quem é mais próximo, cuidar do que já possuímos. Afinal, não há muita “energia” para sairmos e conquistar nada novo. Por isso, talvez, combine tanto com romance, maratona de filmes e séries, vinho, fondue

Mas também combina com meditação, caminhadas de reflexão e encantamentos, apreciações. Apesar de alguns dias serem mais cinzentos, há dias em que o sol brilha e podemos apreciar as cores típicas desta estação fria. E alerto, é importante aproveitarmos cada minuto desses dias para evitarmos aquela deprê básica causada por dias cinzas e nublados.

Uma conexão recheada de experiência

Outra coisa que podemos aprender com os ciclos da Natureza é que nada é constante, nem eterno. Então, por melhor que esteja, vai passar; e por pior que esteja, também vai passar. Da mesma forma que após o frio do inverno o sol volta a nos aquecer com intensidade, após a escuridão da noite, o sol vem nos iluminar, e após um momento difícil, algo de bom acontecerá.

Mais uma vez, a escolha é nossa de como vamos aproveitar cada situação. E nesse período, além das festas juninas, podemos escolher criar uma conexão com quem realmente somos, sermos gratos pelo que possuimos, dividir nosso tempo com quem amamos, e nos dedicar a atividades que nos aquecem o coração de alegria. Sendo essa última a única característica que nunca muda em momento algum do ano.

Ah, eu sei que o inverno – conhecido também como Solstício de Inverno ou Yule entre as bruxas e pagãos – tem muitos outros significados, mas eu sou uma iniciante nessa arte, e também escolhi aprender mais pela experiência do que pelos livros. Então, “muita hora nessa calma” e vamos fingir que há neve no Brasil 🙂

 

NO COMMENTS

GIVE A REPLY