Consulte sempre o especialista e relaxe

Consulte sempre o especialista e relaxe

Talvez hoje em dia, carregar um título de especialista, seja no que for, é uma das maiores ostentações que alguém pode ter. Pior, é que esses especialistas querem nos fazer acreditar que precisamos que alguém nos ensine a nos movimentar, a comer, como pensar e sentir… para alguns casos, já há especialista até para nos ensinar a respirar!

Porém, você já reparou que todos os seu problemas têm apenas uma variável em comum? VOCÊ! Sim, é sempre você quem está presente, quem espera por algo ruim (e então essa coisa acontece para provar que você tem razão, e tem), e é sempre você quem tem que arrumar um jeito para resolver isso. Até mesmo, se você for procurar um médico, que te oriente num tratamento qualquer, é você quem escolhe o médico, e depois da consulta, escolhe se vai ou não seguir suas orientações.

Seguindo essa lógica, é fácil identificar que, se for resolvido a variável comum, o restante se resolve por si só. E nesse sentido, só existe um especialista apto: VOCÊ! Sim, pois a única pessoa que realmente te conhece, ou tem condições suficientes para conhecer quem você realmente é – e portanto o que realmente precisa – é você mesmo.

Esse nosso condicionamento de procurar por respostas e validações externas é o que mais nos enfraquece, nos deixa vulneráveis a opiniões alheias, que nem sempre servem para nós – afinal, cada um tem uma experiência, um repertório, e um objetivo diferente. Até mesmo o que é dito como científico não passa da opinião de uma pessoa – ou grupo de pessoas – sobre um assunto mas que é sim influenciado por tudo que essas pessoas conhecem, ou viveram. É por isso que sempre há novas “descobertas” sobre os mesmos assuntos: quando alguém muda sua perspectiva, pode encontrar novos resultados, e no caso da ciência, isso vira uma nova teoria.

Então, que tal assumir ser um especialista em ser você mesmo, o cientista da sua própria experiência (você pode começar com essas experiências aqui)? Mesmo quando você for buscar por mais ajuda externa, ela será orientada pela sua intuição (ou eu interior, eu superior, Deus, o que você preferir chamar), pois terá a melhor abordagem, e você não será mais dependente dessa de nenhuma validação externa.

Seja um especialista em soluções

Há muitas “ferramentas” que podem ajudar nesse processo, mas sem dúvida, ter uma mente aberta e assumir a capacidade de escolha é a primeira mudança que é necessária. Escolher sempre olhar e esperar por soluções quando se depara com um problema, seria tudo que precisamos de verdade, mas talvez, no começo os condicionamentos antigos continuem a nos atormentar, e nossa vontade em buscar opiniões de outros pode afetar nossa credibilidade em nós mesmos.

Nesse caso, algumas práticas podem desviar nossa atenção do que não desejamos, e condicioná-la como desejamos. Mas reforço, que mesmo para isso, é preciso assumir a responsabilidade de querer atingir essa mestria. Ficar justificando as dificuldades apenas atrasa o processo e, acredite, não abre nenhuma nova possibilidade. Na verdade, vejo que quem se justifica demais parece criar uma barreira impedindo qualquer tipo de solução, mesmo que ela venha de fora. Ou seja, somente quem realmente quer ser ajudado consegue ajuda, mas isso, porque a ajuda começou a aflorar dentro dele.

Se você é um especialista em si mesmo, sempre saberá que direção seguir, onde encontrar as respostas ou ajuda adequada a você. E descobrirá também, que nem sempre uma solução é válida para situações diferentes na sua própria vida. Então, relaxe e confie, pois você estará sempre muito bem assessorado.

NO COMMENTS

GIVE A REPLY