Estou com preguiça de sofrer

Estou com preguiça de sofrer

Depois que a gente se acostuma a estar bem, feliz, alto astral, vai dando uma preguiça de sofrer… Sério mesmo.

Como todo mundo, tenho aqueles dias que alguém diz ou faz algo que não gosto, alguma coisa ruim acontece; situações típicas em que eu ficaria baixo astral, triste, brava…  Mas, esses últimos dias comecei a perceber que meu mau humor não dura muito tempo, talvez o suficiente para eu entender o que está acontecendo.

Então, de repente, sinto um alívio e uma certa confusão: “ué, eu não deveria estar brava com essa pessoa?”, mas é como se nada tivesse acontecido, meu dia segue normal, faço que tenho que fazer e nem penso mais a respeito.

É muito gratificante ver meu trabalho de autodesenvolvimento dando resultados! E o melhor, resultados que me fazem sentir bem. Não porque tenho que agradar alguém, mas porque EU quero estar bem. E se tem uma coisa que aprendi, só eu posso fazer isso por mim.

Talvez esse seja o verdadeiro significado de liberdade, pois a gente deixa de ser refém dos nossos hábitos. Estamos acostumados a viver no automático, sem consciência, condicionados a reagir ao invés de responder. Assim fica fácil descobrir porque sofrer é mais fácil, né?

Só agora entendi que até sentir sempre a mesma coisa pode se tornar um hábito (afinal, tudo que se faz repetidamente, vira um hábito), e todo hábito pode ser mudado.

Eu comecei a mudar quando comecei a meditar. Não me isolei num mosteiro, nem fugi das minhas tarefas do dia-a-dia, apenas comecei a dedicar alguns minutos por dia a “assistir meus pensamentos”. No início é difícil, a mente quer assumir o controle, o corpo sente-se desconfortável e dá uma certa impaciência. Mas com o tempo, a gente começa a ter vislumbres de consciência até quando não está sentado meditando. E é nesse ponto que a magia começa a acontecer.

Isso não aconteceu do dia pra noite, foi necessário paciência e persistência para eu começar a notar alguma evolução, sair do estágio do “estou melhor” para adquirir uma habilidade útil para ser aplicada na minha vida.

Agora, de tanto praticar escolher ficar bem, adivinha! Já posso identificar um novo hábito se formando!!!!

E a gente pensando que toda preguiça é ruim, hein?

NO COMMENTS

GIVE A REPLY