Morning Pages – Páginas da Manhã

Morning Pages

Morning Pages – Páginas da Manhã

Morning Pages, ou Páginas da Manhã, é uma técnica que descobri recentemente e venho praticando há algumas semanas. E, sinceramente, é muuuuuito BOA!

É uma mistura de journaling e meditação ativa, já que você escreve seus pensamentos sem censura, e sem procurar interpretá-los. A gente deixa o raciocínio de lado para a intuição poder aparecer.

Aprendi essa técnica no livro “The artist’s way“, da autora Julia Camerom. Nesse livro, as Morning Pages são a principal ferramenta usada para liberar a criatividade. Mas, com poucos dias de prática, já é possível descobrir muitas coisas sobre si mesmo.

E o legal é que, enquanto a gente vai escrevendo, de repente, encontra algum pensamento esclarecedor, resposta para alguma pergunta antiga, ideias ou crenças que a gente nem sabia que tinha.

As Páginas da Manhã também são um ótimo exercício para a gente abrir mão do controle. É claro, talvez isso não aconteça na sua primeira sessão, mas como toda meditação, essa também precisa de prática constante.

Além disso, acho uma ótima terapia, porque você não precisa mostrar para ninguém (a própria Julia recomenda que não mostre a ninguém) mas será obrigado a encarar seja lá o que for que estiver escondido e atrapalhando sua vida.

Como já falei antes, para mim, escrever sobre meus problemas tem um efeito de liberá-los do meu sistema, transmutando a energia e abrindo espaço para soluções. Mas talvez por causa desse compromisso diário, o que me obriga a encontrar assunto, comecei a desenvolver um carinho especial por mim mesma.

Me senti a Felícia com os bichinhos (com os bichinhos eu já sou, mas comigo mesma foi a primeira vez).

Bom, não é à toa que a gente ouve tanto que é importante se conhecer para aprender a se amar. Afinal, em todo relacionamento, o amor fica mais forte conforme a gente conhece mais a pessoa.

Como praticar

O exercício das Páginas da Manhã consiste em escrever três páginas à mão (esqueça o computador aqui), todos os dias, pela manhã (é claro!). Se for preciso, acorde uma hora mais cedo para fazer. Não é para escrever uma história, é para escrever qualquer pensamento que tiver, sem censura. Vale qualquer assunto, qualquer ideia solta, reclamação, digressão… E também, não se preocupe com o português. Deixe apenas as ideias fluírem.

E se de repente “pintar um branco”? Tudo bem, continue escrevendo: “não sei mais o que escrever”, “isso parece bobagem”, “eu podia estar dormindo ainda”… repita até completar as três páginas. Você acabará vencendo sua mente pelo cansaço, e o fluxo será liberado novamente.

Lembre-se que você está fazendo um exercício para se conhecer, não para se julgar, não importa o que venha a descobrir. Em geral, se é algo bom, continue fazendo mais do mesmo; se é algo que você não gosta, significa apenas que você tem que fazer novas escolhas.

Trate-se com carinho e logo verá os resultados!

 

NO COMMENTS

GIVE A REPLY