O que fazer quando a alegria desanda

O que fazer quando a alegria desanda

O que fazer quando a alegria desanda

A vida, assim como nossa energia, são instáveis, e em alguns momentos, nossa alegria desanda, e nos vemos confusos entre as más experiências do passado e as grandes expectativas do presente.

Racionalmente eu consigo entender que esses momentos são importantes, porque é através deles que descobrimos o que realmente queremos (falarei mais a respeito futuramente), porém, inconscientemente, mantenho comigo as respostas emocionais a essas situações desagradáveis, e acabo por repetir os mesmos resultados. A não ser que que eu tenha a consciência do que está acontecendo (e nessa hora vejo a importância da prática constante da meditação).

Ok, ter consciência é o primeiro passo, mas e depois? Nem sempre isso é o suficiente para eu voltar a me sentir bem.

Como sempre, nem toda solução funciona para todos, mas para mim eu preciso aceitar e deixar passar. Sim, permitir que seja qual for a emoção ou sentimento negativo despertado pelo momento ruim apenas flua e se vá. É como quando engolimos café quente, vai descer queimando, será incômodo, mas só se ele fizer todo seu caminho, vamos nos ver livre da dor e do desconforto.

Aceitar não é guardar para mim, é eliminar a resistência ao sofrimento, entendendo que é um processo de “purificação” (isso até parece coisa mística, #sqn). Depois que passa e a gente nem lembra porque se sentiu mal anteriormente. E esse é o ponto, liberamos a energia da emoção ruim e podemos voltar a nossa escalada emocional na direção da mais pura e perfeita alegria de viver.

Se a alegria desanda….

Se a alegria desanda, permita que a tristeza, a raiva, a decepção passem por você, só não convide nenhuma delas para um chá; fique como um espectador na janela vendo a banda passar.

Você já percebeu o que acontece quando alguém tenta nos irritar ou nos ofender e não nos sentimos atingidos? Ou pior, quando concordamos com a pessoa? Ela fica sem ação, pois toda a “encenação” dela dependia da nossa reação negativa. A mesma coisa acontece quando permitimos o fluir dos sentimentos; eles perdem a força.

Outra coisa, nessas horas nunca decido nada nem faço nada para tentar mudar a situação, pois nenhuma ideia vinda de energias ruins pode ser boa. Assim, o melhor é separar a pipoca  e tirar o melhor proveito desse tempo: chorar, socar travesseiros, correr num parque, journaling; depois, quem sabe algo um pouco mais UP, como uma maratona na Netflix, uma massagem, ou qualquer outra coisa que provoque algum alívio.

Acreditar que essa fase vai passar já tira as nuvens que cobrem o sol, por isso, nada de se apegar. Aos poucos nossa essência estará de volta renovada e cheia de novos objetivos.

NO COMMENTS

GIVE A REPLY