Um estado meditativo para chamar de meu

Um estado meditativo para chamar de meu

Um estado meditativo para chamar de meu

Esse texto é um pouco diferente, pois foi escrito logo após eu meditar, enquanto eu ainda estava em estado meditativo.

Alguém pode vir a dizer que foi psicografado (de fato, me senti compulsiva em escrevê-lo e peguei o primeiro pedaço de papel que achei para isso), mas afirmo que nenhum espírito assumiu a autoria.

Ao contrário, tenho certeza que foi minha Fonte, falando comigo através do meu Eu Interior.

Por isso, talvez ele não faça muito sentido para quem o ler usando somente a razão (aquilo que você chama de mente e em geral te manipula); abra-se para apreender os significados ocultos, que nenhuma palavra pode traduzir.

Meditação Psicografada #SQN

Quando eu medito, eu treino a vibração de ser quem Eu Sou, de forma pura, sem nenhum adjetivo.

Nesse momento, eu não preciso adicionar nada, Eu Sou naturalmente Feliz, Eu Sou naturalmente Completa, Eu Sou naturalmente Perfeita.

É um momento onde o NADA transforma-se em TUDO. Não é a toa que o Osho compara a meditação a poesia, porque ela realmente é. Tentar explicá-la com a razão é reduzi-la a um mundo de limitações, e a meditação é justamente o contrário, é um extrapolar limites, e ir além das explicações.

É verdade que ela (a meditação) exige coragem. É preciso encarar o medo do desconhecido, “se jogar” em algo que, talvez, nunca possa ser compreendido de forma racional. Acho até que, se isso for possível, será perdida parte da totalidade da experiência.

Quando a gente atinge o estado meditativo, a sensação é mais louca que qualquer estágio alterado de consciência de forma artificial (como álcool, drogas, etc). Até porque, vem junto o gostinho do poder pessoal, porque você conseguiu isso por si só, sem ajuda de substâncias externas.

E também, você consegue a compreensão de que o estado meditativo não é um estado alterado de consciência, mas sim a própria consciência em sua pureza, sem contaminação do ego ou condicionamentos. E quanto mais tempo você permanece nesse estado, mais tempo você é quem realmente é, seu Eu verdadeiro.

Eu não tento mais traduzir isso em palavras ou mesmo entender de maneira racional. Essa é uma tentativa que regride a experiência. Ao contrário, observo e aprendo a emoção, a vibração, a energia. Essa é a única forma de conhecer a totalidade.

Do contrário, continuamos experimentando fragmentos de verdade, fragmentos de evolução, fragmentos de consciência. E por isso, carregamos uma frustração por estarmos tão perto e ao mesmo tão longe do que desejamos.

A prática te leva ao estado meditativo

E, antes que você me pergunte como esse tipo de experiência é útil para nossa existência diária na terceira dimensão… Bem, esse é um verdadeiro ato de fé e observação. Você pratica, faz sua parte (medita, conhece quem você é ENERGETICAMENTE) e observa como isso se reflete na sua vida.

Você vai, aos poucos, deixando de ser reagente e passa a responder aos acontecimentos, cada um de uma forma. Você se surpreende com você mesmo, porque suas atitudes (ações, sentimentos e pensamentos) serão diferentes do que você era condicionado.

É um verdadeiro crer para ver.

Só um alerta. Você vai se viciar. Mas esse é um vício que vale a pena.

NO COMMENTS

GIVE A REPLY